Subscribe:

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Judeu ou cristao

Um judeu deve deixar de ser judeu para se tornar cristão? É uma boa pergunta e algumas pessoas se apressam a dizer que sim, e cristão da sua denominação, e não de outra qualquer.

Hoje o cristianismo está dividido, não apenas em três ou quatro seitas, mas milhares, e muitas delas, se achando únicas, exclusivas detentoras dos direitos sobre Cristo e a salvação.

Então, se um judeu deve deixar de ser judeu pra ser cristão, pergunta-se, de qual denominação, seita, ramo, divisão, grupo, assembleia, congregação?

Protestantismo clássico, pentecostal ou neo-pentecostal?  Calvinista ou arminianos? Fundamentalistas, ortodoxos ou liberais? Aderir a teologia da prosperidade ou da maldição hereditária? Cessacionistas ou não-cessacionistas?

O cardápio é muito variado a disposição de um judeu.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Zaccardiani

Igreja Cristã Zaccardiani



Zaccardiani ou zaccardianos é uma comunidade pentecostal da Itália de doutrina muito rigorosa e exclusivista. Ela surgiu por conta de divisões ocorridas na igreja pentecostal de Roma em 1935 e 1945, quando muitos pentecostais de Roma e fora de Roma seguiram a doutrina de Domenico Zaccardi e foram chamados zaccardianos.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Orgao e organista

Órgão e Organista


Nas igrejas da Congregação Cristã o órgão ocupa posição de destaque na música de louvor a Deus. Ao chegar numa igreja da CCB, antes do início do culto, se ouve a execução suave dos hinos chamados de “hinos da meia-hora”, porque são tocados durante a meia hora que antecede o início do culto, trazendo muita comunhão aos fiéis.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Giuseppe Petrelli

GIUSEPPE PETRELLI


Valdeci Ferreira

Giuseppe Petrelli estava entre os principais líderes do Movimento Pentecostal Italiano, em Chicago, no início do século XX, e teve grande influência na comunidade evangélica italiana. Advogado, Jornalista, teólogo, escreveu vários livros e como pregador itinerante, dedicou-se em levar também a mensagem pentecostal ao mundo.

Infelismente só conhecemos Petrelli como o causador de um grande cisma na Igreja Assemblea Cristiana de Chicago, por causa das suas idéias a respeito da validade dos preceitos emitidos na Assembléia de Jerusalém, no primeiro século.

Não há como negar, porém, conhecendo um pouco mais sobre este grande líder evangélico italiano, que ele teve um chamado de Deus para o servir e  procurou cumprir sua missão até o final d asua vida. 

As principais lideranças do movimento pentecostal italiano no início do século 20 eram leigas, sem formação secular,  Petrelli era totalmente o contrário e portanto, podemos supor que tenha encontrado muita resistência entre seus  companheiros. Mas a sua biografia demonstra que ele foi um servo de Deus dedicado ao evangelho, a altura de Louis Francescon, Micheli Nardi e outros.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Votos na CCB

FAZER VOTO NA CCB


Valdeci  F.
Há um costume na CCB de se fazer votos. Faz-se votos por causa de enfermidades, de uma dor de cabeça a um câncer. Faz-se votos para ser bem sucedido nos negócios, viagens, vestibulares e concursos; para Deus converter alguém, para ser liberto de algum vício, tentação, perseguição, etc. A lista é grande e ainda há pessoas que só dizem que fizeram um voto e Deus o atendeu, sem dar maiores detalhes.

A forma mais comum de pagar voto na CCB é levantar-se perante a igreja e agradecer a Deus pelo que alcançou, ainda que outra formas de votos possam ser feitas, como de doar algum dinheiro para a igreja, doar cestas básicas, ajudar alguém, realizar algum serviço para a igreja ou alguma pessoa. Não muito comum é prometer realizar serviços religiosos, visitar, congregar, ler mais a Bíblia, evangelizar, etc.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Genero na Congregacao Crista no Brasil

A QUESTÃO DE GÊNERO NA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

JANAÍNA DA SILVA

A Congregação Cristã no Brasil (CCB) é a mais antiga denominação pentecostal do país, onde está prestes a completar 100 de seu surgimento pelo italiano Luigi Francescon, nos levando a refletir sobre o papel desempenhado pela mulher no seio congregacionista neste um século de sua existência.
Entendendo que preservam e praticam em pleno século XXI conceitos estabelecidos em sua fundação em 1910, o presente estudo objetiva a compreensão de uma abordagem acerca do gênero feminino nesta denominação religiosa e suas respectivas contribuições, tendo como método um análise crítica desse processo histórico e religioso, através de observação participante. Assim, compreender os mecanismos que a mantêm em sua mesma identidade do início do século e o papel feminino é um desafio e ao mesmo tempo intrigante.

Palavras- Chave: Gênero; Pentecostalismo; preconceitos.
 
Clique para baixar o arquivo em pdf:  GÊNERO NA CCB

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

CCB e o canto congregacional

Canto Congregacional

Na Congregação Cristã,  louvar a Deus através dos cânticos faz parte da liturgia dos cultos e desde as primeiras décadas de existência, livros de hinos foram produzidos para que os membros pudessem cantar.  Com a criação das orquestras, atenção maior foi dada aos hinários musicais para a execução dos instrumentos.

Atualmente temos um livro de hinos com 450 hinos, que são cantados e tocados nos cultos e nas casas para exaltar a Deus.

Na CCB os louvores são na forma do canto congregacional, isto é, toda a congregação canta junto. Não há apresentação de coros, solistas, bandas, cantores ou conjuntos musicais de qualquer forma. O canto é solene, acompanhado pela orquestra, após breve introdução feita pelo órgão.

Esta forma de louvar e adorar a Deus é perfeitamente coerente com o modo de ser igreja da CCB e o anti-personalismo patente em todos os serviços religiosos.  Cantam todos juntos e ninguém aparece mais que o outro,  ninguém exibe seus dotes artísticos, seja no canto ou na execução de um instrumento musical.  Sabemos que há irmãos e irmãs com grande talento para cantar e tocar, mas permanecem anônimos no nosso meio, porque não há espaço nos cultos para apresentações individuais  ou de grupos.

Quando toda a congregação canta junto, os benefícios são muitos, não há dúvida, pois deixa-se de lado a individualidade e se reforça nos fiéis o sentimento de pertencer a um povo, a uma nação que serve a Deus na terra. Somos um corpo e Deus conhece cada um de nós. Canta junto fortalece este corpo.

Numa Congregação tem crente forte e motivado que canta com alegria, alguns até elevam a voz acima da orquestra, mas há também muitos fracos, desanimados, angustiados, tristes e deprimidos. Gente que fica com o hinário aberto mas não canta ou apenas mexe os lábios. Outros derramam lágrimas sobre as folhas do hinário, de tanta provação na vida ou problemas que deixam em casa ao virem para a congregação.

O canto congregacional envolve a todos e a união faz a força. Para  muitos,  o canto unido da congregação é um remédio santo que anima e levanta, porque as palavras dos cânticos são uma pregação da Palavra de Deus. A força dos hinos penetra na alma e muitos saem da igreja edificados, apenas com os cânticos.

Atualmente muitas igrejas tem deixado de lado o canto congregacional, recorrendo ás apresentações de coros, artistas ou conjuntos musicais, por diversos motivos. Não há dúvida de que uma bela apresentação de solistas, conjuntos, bandas, coro, podem comover e até encantar as pessoas e assim como o canto congregacional poderá atrair um descrente para ouvir o evangelho. Penso que estas apresentações não podem ser uma rotina nos cultos, pois quando se trata de louvar a Deus, não podemos ser meros expectadores recebendo estímulos, mas devemos ser os autores deste louvor, oferecendo a Deus o melhor do nosso coração.

Quero esclarecer aos que não conhecem a Congregação Cristã no Brasil, que nossa igreja tem 100 anos, e não se rendeu a nenhum tipo de novidade quando se trata de louvores. A CCB não grava seus hinos com intuito de vendê-los aos seus membros e não patrocina nenhum tipo de gravação ou apresentação musical, traga ela retorno financeiro ou não a que o faz.

Mesmo em igrejas pequenas ou obras novas, a CCB não recorre à apresentação de coros, solistas ou bandas, e nem paga cachê para artistas, músico ou conjuntos.  Quem atende os cultos, faz uma oração e pede para Deus preparar músicos para ajudar nos hinos, e Deus sempre prepara, porque há muitos irmãos que não medem esforços para congregar e tocar.

Na CCB continuamos a louvar a Deus, da mesma forma que os primitivos irmãos faziam, acompanhado de instrumentos ou apenas com a voz, sem modismos e invenções, e sem dúvida é uma grande alegria chegar à igreja quando o culto já começou, e ouvir a igreja cantando junto.


Na minha opinião devemos preservar esta forma de louvar a Deus através do canto congregacional, sem dúvida, mas considero válida as apresentações individuais e de grupos, desde que não houvesse comercialização por trás. Acho que poderia se pensar em criar espaço para o desenvolvimento de talentos, pois há muitas pessoas talentosas no nosso meio, e que não encontrando incentivo, não se desenvolvem e perdemos o prazer de ver e ouvi-los. Talentos são dados por Deus e não são para ficar enterrados, cabe ao ser humano desenvolvê-los.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Igreja Presbiteriana Italiana


Rua atual W.Ohio, Chicago

Primeira Igreja Presbiteriana Italiana de Chicago

Quando lemos o histórico deixado por Louis Francescon , dentre os fatos curiosos está o relato da fundação da Primeira Igreja Presbiteriana italiana em Chicago.

"Em março de 1892, com o grupo evangelizado pelo irmão M. Nardi e algumas famílias de fé "Valdense" foi criada nesta cidade a primeira Igreja Presbiteriana Italiana, sendo o Sr Filippo Grilli, pastor. Eu fui eleito um dos três diáconos e após alguns anos, ancião."

Muitas pessoas ao lerem esta parte já se perguntaram do porque de criar uma igreja Presbiteriana, pois não consta que Micheli Nardi tivesse identidade denominacional presbiteriana.

domingo, 7 de novembro de 2010

ORIENTACOES ORGANISTAS CCB


Prefácio

Com o objetivo de facilitar a aprendizagem nos grupos de estudos musicais da Congregação Cristã no Brasil, o Senhor tem preparado o presente trabalho que consiste de noções básicas de teoria, solfejo e divisão musical.

Este trabalho permite o aprendizado progressivo, pois é constituído de módulos seqüenciais cuja totalização permitirá ao candidato adquirir conhecimentos sólidos de teoria, solfejo e divisão musical para aplicação nas lições dos métodos musicais de cada instrumento e, principalmente, ao hinário da Congregação.

Os exercícios constantes de cada módulo permitirão ao próprio candidato a auto análise do seu aprendizado.

Ao progredir nos módulos, o candidato avaliará sua situação em relação ao Programa Mínimo exigido para teoria e solfejo para ingresso nas Reuniões de Jovens e Menores, Cultos Oficiais e Oficialização.

Estando todo trabalho digitalizado, sua distribuição poderá ser feita através da rede mundial de computadores (Internet), através da gravação em discos compactos (CD) ou impresso, por módulo ou na sua totalidade, através de impressoras, copiadoras ou gráficas.

Ao nosso Deus, digno de todo louvor perfeito, através dos nossos instrumentos e de nossos lábios, sejam dados honra, louvor e glória eternamente. Amém.

São Paulo – Maio/2006
 
Clique no link para baixar:  ORIENTACOES ORGANISTAS CCB
 
fonte: http://www.scribd.com/doc/19896229/ORGAO-ELETRONICO-Orientacoes-para-Curso-de-Organistas-CCB-Guia-de-Uso-de-Metodos-e-Hinario

domingo, 31 de outubro de 2010

CCB - Valdense ou Reforma


Igreja Valdense em Roma
 Alguns irmãos da CCB estão divulgando que a origem da Congregação está no extinto movimento Valdense, e que a CCB não tem nada a ver com a Reforma Protestante.


Acontece que não há nos Estatutos e Ensinamentos da CCB nenhuma só citação dos valdenses, como origem da CC. Eu tenho 30 anos de CCB, e nunca ouvi um dos antigos anciães falar uma só palavra sobre os valdenses. Aliás não falam nem de Louis Francescon, porque o costume da CCB é não falar do passado, mas apenas de presente e futuro.

Para quem não sabe, há uma ala de batistas que defendem que os batistas são descendentes diretos dos apóstolos. Esta tese chama-se sucessão apostólica e passa pelos valdenses. Esta posição não é defendida oficialmente pela Igreja Batista.

Um grande historiador batista, J.E. McGoldrick escreveu um livro chamado “Baptist Successionism: A Crucial Question in Baptist History” onde refuta esta tese, desfazendo todo o engodo e afirmando que os batistas surgiram no século 17 e são protestantes.

CCB e origem valdense

É possível que, com o surgimento da internet, alguns irmãos tomaram contato com estas histórias e a tomaram emprestada para defender que a CCB é a herdeira dos valdenses, que Louis Francescon se inteirou de toda a herança valdense e ai fundou a Assemblea Cristiana em Chicago em 1903, e assim, por meio dele estaria traçada também a linha de sucessão apostólica: CCBLouis Francesconvaldensesapóstolos.

O que pareceria comprovar esta tese seriam as práticas liturgicas da CCB e sua doutrina, diferente da maioria das igrejas evangélicas. Forma de organização, dois sacramentos, ministros não-assalariados e leigos e adoção unicamente da Bíblia, lida sem teologia sistemática.

O fato da CCB ter alguns elementos do movimento valdense não a faz herdeira, pois havia muito mais no movimento, que a CCB não abraçou e nem poderia, como por exemplo, a vida de pobreza e o treinamento intensivo dos pregadores itinerantes. Havia valdenses que batizavam crianças, acreditavam na doutrina da transubstanciação dos elementos da Ceia, celibato aos pregadores e muito mais. Eles eram muito mais católicos querendo reformar a igreja romana.

Alguns elementos que são apontados como herança valdense, na verdade são encontrados em diversas igrejas ou fizeram parte de movimentos antigos, que pretendiam uma volta a um cristianismo primitivo, ou são mesmos oriundos da Reforma.

Só o fato de podermos nos reunir e cultuar a Deus da forma que entendemos, já é uma conquista da Reforma Protestante e não dos valdenses. Para muitos cristãos, hoje é tão normal ir para sua igreja, mas não imaginam que esta situação não era admitida até o século 16, até que ocorresse a Reforma Protestante, que teve grande alcance e repercussão, com milhares de mortos em guerra religiosa, mas que ao final conseguiu a liberdade para interpretar as Escrituras e adorar a Deus, independente da igreja romana.

Os valdenses foram quase totalmente eliminados pela igreja de Roma, e receberam muita ajuda dos protestantes para poderem sobreviver.

O argumento que melhor derruba por terra esta afirmação de que a CCB não deve nada à reforma é este: Se Louis Francescon quis resgatar a herança valdense, uma coisa importantíssima para a Igreja, Deus não lhe permitiu descobrir sósinho: o batismo do Espírito Santo com evidência de novas línguas.

Onde que Louis Francescon foi descobrir o batismo da Promessa?

Não foi entre os valdenses, mas na igreja de um ex-pastor batista chamado Willian Durham em Chicago. Foi lá que ele, esposa e outros líderes da Assemblea Cristiana foram receber o dom de falar novas línguas, que na época foi entendido como batismo do Espírito Santo. Este pastor, por sua vez, havia recebido a promessa no avivamento da Rua Azuza.

Eu acredito que Deus fez isso para que ninguém pudesse se gloriar, como hoje alguns irmãos estão fazendo, achando que sua denominação nasceu completa, independente do movimento da Reforma Protestante, que tem se espalhado pelo mundo, alcançando milhões de almas pelo Evangelho.

Todos os historiadores sérios modernos situam o início do movimento valdense no século 12, com os Pobres de Lion, ou Pobres de Cristo, quando um rico comerciante se converteu, abriu mão de suas riquezas, adotou a vida de pobreza e atraiu seguidores para pregar o Evangelho. No início foram deixados em paz pela Igreja romana porque esta combatia outros movimentos considerados heréticos, mas depois foram duramente perseguidos e atacados nos seus lugares de refúgio, os vales do Piemonte na Itália.

A origem apostólica é considerada um mito e foi baseada em documentos cujas datas foram adulteradas, para provar a antiguidade valdense, porque havia interesse em se divulgar a origem apostólica, em oposição a Igreja de Roma, que se dizia a única herdeira dos apóstolos. Estas idéias foram aceitas por muito tempo, mas atualmente consideradas como lenda por qualquer historiador.

Portanto, estas afirmações de irmãos da CCB, da antiguidade valdense, além de não terem comprovação histórica, a CCB oficialmente nunca afirmou ser herdeira do movimento e seria muito incoerente fazer esta afirmação. Os valdenses eram pregadores itinerantes dedicados, enquanto nós somos cristãos de igrejas, de templos, esperando que as almas venham até nós.

Não temos necessidade de nos afirmar como herdeiros deste ou daquele movimento, basta sermos herdeiros de Cristo, da verdade do Evangelho. Movimentos surgem e desaparecem de tempos em tempos, documentos se perdem no tempo, mas a Palavra de Deus permanece, e nela devemos nos firmar.

domingo, 24 de outubro de 2010

CONGREGAÇÃO CRISTÃ FAZ 100 ANOS



CCB Central de Campinas
 Notícia que saiu no jornal Correio Popular de Campinas, SP, sobre o centenário da CCB.

ROGÉRIO VERZIGNASSE


No templo imenso, há acomodação para 1,2 mil fiéis. Na fileira central de bancos, uma centena de músicos se ajeitam diante das estantes (pórticos delicados onde se apóiam as partituras). Eles executam hinos primorosos. Atrás do púlpito, de onde o ancião comanda o culto, há o tanque azulejado onde acontecem as cerimônias de batismo por imersão. Na Rua Germânica funciona o centro administrativo regional da Congregação Cristã no Brasil, ao qual estão subordinados 440 templos, de 27 cidades. Só em Campinas, são 23 mil seguidores cadastrados. Cristãos que, além de batizados, já participaram da Santa Ceia, espécie de sacramento cumprido pelos adeptos.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

ENSINAMENTOS CCB 2010

RESUMO DE ENSINAMENTOS - 75a ASSEMBLÉIA - 2010


SÃO PAULO - 30 DE MARÇO A 03 DE ABRIL DE 2010

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

ATENCÃO: SOMENTE OS TÓPICOS ASSINALADOS COM ASTERISCO * DEVERÃO SER LIDOS NAS CONGREGAÇÕES PERANTE A IRMANDADE.

EM CADA REGIÃO OS ENSINAMENTOS ENTRARÃO EM VIGOR APÓS A REALIZAÇÃO DA REUNIÃO ANUAL DE ENSINAMENTOS.



*1 - EXPRESSÕES QUE NÃO DEVEM SER FALADAS

Ao agradecer a Deus nos testemunhos, não se deve dizer que Deus confundiu a ciência ou a medicina.

RJM - Reunião de Jovens e Menores

Mocidade CCB - Rondonópolis
RJMs

Na CCB, geralmente aos domingos de manhã ou à tarde, temos cultos exclusivos para jovens e crianças. Estes cultos são denominados "Reuniões para Jovens e Menores”.


Nestas reuniões somente as crianças e jovens tem liberdade para chamarem hinos para serem cantados/tocados, fazer as orações da igreja e contar as bênçãos recebidas diante de todos. As crianças ainda não alfabetizadas são reunidas na frente do púlpito para aprenderem a oração do "Pai Nosso", ensinada por Jesus aos discípulos. No momento do recitativo, os jovens e crianças vão à frente e recitam um versículo bíblico, acompanhados de perto por um jovem que tem o cargo denominado "auxiliar de jovens". Este recitativo poderá ser individual, mas não é comum isto ocorrer.

Os pais são aconselhados a enviarem seus filhos à estas reuniões e/ou levarem os pequenos, e os que são músicos podem colaborar levando o instrumento para ajudar na orquestra.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

CCB e o anti-personalismo

Uma característica peculiar à Congregação Cristã é o anti-personalismo. É não aparecer o EU na realização de qualquer serviço religioso. Enquanto em alguns segmentos se destaca tanto a figura do ministro, havendo até uma busca por títulos para serem reconhecidos como grandes líderes, na CCB há um empenho em permanecerem invisíveis, deixando sempre Deus aparecer.

Se um pregador faz uma bela pregação, recebida com satisfação pelos ouvintes, expressa através de muitos louvores de alegria e fervor religioso, este tal nunca deve se exaltar, achando que foi por seus méritos que aquilo aconteceu, mas dar toda glória a Deus, pois é Ele Quem dá os dons para edificação da igreja.

Os membros por sua vez, acreditam que tudo o que ouviram veio de Deus e o pregador foi um simples vaso ou instrumento nas mãos divinas. Não se parabeniza o pregador pela bela pregação, por mais feliz que se esteja com o que ouviu, mas elevam-se louvores unicamente a Deus.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Centenario CCB Video

Video muito bem feito sobre a CCB.  Não é oficial porque a CCB não faz nenhuma divulgação deste tipo e o ano vai terminando sem que seja dito uma palavra nos cultos sobre o Centenário da Congregação Cristã no Brasil.  Tenho prazer em compartilhar conteúdos que acho interessante com todos os que visitam este blog, mas digo aos que tem interesse em conhecer, visitem pessoalmente  uma Congregação, não se limitando ao que se apresenta na internet.

Não sendo voz oficial da Igreja CCB, tudo o que se apresenta, seja em video ou artigos,  é fruto do trabalho individual de membros  que podem se equivocar em algum dado  ou priorizar um aspecto e não outro.

Centenário Video 1ª parte




Centenário Video 2ª parte

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Alterações Hinario CCB

Já faz algum tempo que ouvimos falar sobre um novo hinário CCB, que seria o de número 5.  Não sei quando sairá, mas compartilho as anotações que um irmão fez ao participar de um Ensaio Musical onde estava presente nossa irmã Ana Spina, porque muitos tem interesse em saber algo a respeito.

Há muitas palavras que pertencem à linguagem musical e portanto para compreender é preciso ter um pouco de conhecimento nesta parte.

Eu, particularmente,  não concordo com algumas alterações, como por exemplo retirar as ligaduras do hino 380 e alerar a tonalidade do hino 273, mas como se vê,  são pessoas que lidam há muitos anos com a parte musical na CCB e possuem conhecimento para fazerem estas mudanças. 

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Cartas Louis Francescon

Cartas de Louis Francescon para Aldo Ferretti

Uma coleção de cartas de Louis Francescon estão disponíveis no site da Igreja Renovadora Cristã, iniciada em 1953 por Aldo Ferretti, antigo cooperador das congregações de Pinheiros e Cerqueira César na capital de São Paulo. 

Louis Francescon escrevia cartas para diversos irmãos no Brasil e Aldo Ferreti era um deles, que também escrevia-lhe e gozava de muita consideração por parte de Louis Francescon. Em uma das cartas Louis Francescon chega a cobrar de Aldo por não ter mais lhe enviado cartas.

As cartas abrangem um período de 1937 a 1951, sendo que 1952 foi o ano em que Aldo Ferreti se desligou da CCB. 

Nestas cartas, podemos ver como Louis Francescon, mesmo vivendo tão longe do Brasil, preocupava-se com os rumos da obra aqui  e não deixava de aconselhar, comentar e até censurar algo que ele achava que não estava indo bem por aqui.  

Na carta 26 por exemplo ele diz claramente não ser da vontade de Deus a atitude do encarregado (cooperador) da Vila Beatriz, de abrir uma Sala de Oração próximo a Congregação de Pinheiros e adverte que os anciães locais deveriam tomar uma providência.  

As cartas são um valioso material de consulta e podemos conhecer um pouco mais deste servo de Deus que iniciou a Congregação Cristã no Brasil, e constatar o quanto a doutrina da CCB ainda tem de influência de Louis Francescon, da sua visão de cristianismo, da sua compreensão sobre a salvação, a maneira de lidar com os que se desviam, com líderes que se insubordinam, etc. Podemos ler também observações suas a respeito do rumo que  a Congregação italiana na América do Norte havia tomado.

Clique no link a seguir para baixar as 26 cartas reunidas num arquivo único em pdf com marcadores: 

  CARTAS LOUIS FRANCESCON

Site da Igreja Renovadora Cristã: http://www.igrejarenovadoracrista.org.br/

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Quadro horário de culto

CCB  em Concepcion, Chile
Nesta foto ao lado vemos um pequeno quadro com horário de cultos, numa CC (Congregação Cristã) no Chile.

Aqui no Brasil, até onde eu sei, nenhuma CC possui um quadro de horários na fachada. No exterior a grande maioria de CC segue o exemplo do Brasil, sem estes quadros.

O que muitos não sabem é que nos Tópicos de Ensinamentos nós lemos que já foi permitido isso e depois proibido.



QUADRO EXTERNO COM HORÁRIO DOS CULTOS - 1961

Pode ser usado nas grandes cidades com especialidade, uma pedra geralmente de mármore ou granito que será colocada em um canteiro na parte externa da casa de oração quando própria, onde poderá ser gravado horários dos dias de cultos.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Prédio da CCB vendido

Estava lendo no blog CristãoCCB sobre  a notícia veiculada em outro site sobre a venda do prédio da CCB em São Carlos, e que agora parece que será utilizado como um templo maçonico. Deixo claro que não concordo com a forma com que o ministério procedeu a venda daquela congregação e nem com maçonaria misturada com evangélicos.

Quanto ao uso que se faz do prédio após a venda, não vejo nenhum problema. O prédio em si é tijolo, cimento, areia e outros materiais.  Que diferença faz se for utilizado por maçons ou outra igreja? Ou uma oficina ou um restaurante, ou depósito?

A CCB não possui templos, apesar de atualmente muitos irmãos se referirem às Casas de Oração como templo. A palavra templo carrega na sua origem um significado de lugar onde habita uma divindade, o que não ocorre na nossa igreja. Ali nos reunimos, louvamos a Deus e sentimos a Sua Presença, mas o templo de Deus somos nós que ali estamos. Ao deixar o local, ali fica só o prédio de tijolos e concreto. 

Isso não quer dizer que não possamos sentir nostalgia dos dias que frequentamos aquela Casa de Oração, mas é só isso.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Batismo - Mikveh

Mikveh em Herodium - final do segundo
templo - 69AD
No meio cristão há muitas controvérsias a respeito do batismo, seja quanto a forma ou às palavras que devem ser pronunciadas, o significado do ato e outras questões, havendo denominações ou grupos cristãos que até dispensam atualmente o batismo, substituindo-o por uma declaração ou oração do pecador.

O batismo porém, começou antes de Jesus e o mikvah ou mikveh, é uma forma de batismo judaico que pode ser considerado a origem do batismo cristão, apesar das denominações evangélicas não gostarem desta associação.

Judaísmo


A palavra judaica para batismo é tevilah e significa imersão, que embora pudesse ser feito em um rio ou lago, era geralmente feita em um mikeveh, um tanque onde as águas foram represadas. Este tanque era um elemento essencial em uma Sinagoga e também fazia parte do templo.

Arqueólogos tem desenterrado muitos destes tanques no monte do antigo templo e são idênticos aos modernos banhos mikevah encontradas nas sinagogas de judeus ortodoxos. Ainda hoje, as mulheres ortodoxas ainda visitam o mikvah após seu fluxo mensal e, muitas vezes depois de terem relações íntimas. Homens ortodoxos vão ao mikvah para se prepararem para o Shabat e dias santos, e às vezes, mesmo o povo judeu secular vão à mikvah uma vez em suas vidas, antes do casamento.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

ALGO ERRADO COM O POVO EVANGELICO

HÁ ALGO ERRADO COM O POVO CHAMADO EVANGÉLICO


O que você pensaria de uma nação cujos irmãos lutam entre si, buscando cada um a primazia de sua família? O que você pensaria de um povo que professa a fé no mesmo Deus e isso ao invés de unir os separa? O que você pensaria de um povo que se trata com o amável título de "irmãos" mas vivem desconfiados uns dos outros e muitas vezes agem como verdadeiros inimigos?

sábado, 28 de agosto de 2010

Escola Dominical

Robert Raikes
1. Escola Dominical

Todas as igrejas evangélicas brasileiras desenvolvem aos domingos uma atividade chamada Escola Dominical, de manhã ou à tarde, num período de cerca de duas horas. Promovem assim o estudo bíblico direcionado aos membros e visitantes, que são divididos em grupos por faixa etária.

A Escola dominical faz parte do trabalho ministerial dos líderes evangélicos, instruindo os membros e os novos ingressos na igreja nas Escrituras, ou seja, tanto ela nivela o conhecimento como introduz o novo membro à doutrina religiosa. Tanto as igrejas tradicionais históricas, como as Presbiterianas, Batistas, Metodistas e Luteranas quanto as chamadas avivadas ou renovadas como as pentecostais e neopentecostais possuem Escola Dominical.

Na Igreja evangélica Congregação Cristã no Brasil (CCB) não há Escola Dominical segundo o modelo adotado na grande maioria das igrejas evangélicas. Há, porém, geralmente aos domingos, de manhã, à tarde ou á noite, cultos denominados “Reuniões de Jovens e Menores” destinados a jovens e crianças.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

CCB Africa fotos

Estas fotos são de 2006 mas desejo compartilhar, pois me comove ver como Deus está abençoando a obra na África. Muitas igrejas e missões estão concentrando esforços para anunciar o evangelho entre as nações africanas, e a CCB marca sua presença ali. No início uma singela salinha, mas aos poucos uma congregação é levantada, abrigando o povo para louvar a Deus.

domingo, 15 de agosto de 2010

Histórico Musical CCB

  

HISTÓRICO MUSICAL E INSTRUÇÕES REGULAMENTARES PARA AS ORQUESTRAS

 Este pequeno livreto disponível nas seções de Bíblias das Congregações traz a história das orquestras e regulamentos para o funcionamento da mesma. A orquestra na CCB se destaca não apenas pela quantidade de músicos mas pela disciplina, que visa manter a ordem nos cultos. Assim como nos serviços religiosos evita-se o individualismo e a exaltação de talentos, na orquestra a intenção é que ninguém se destaque ou apareça mais que o outro.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Emilio Conde batizado na CCB

Emilio Conde , chamado de apóstolo da imprensa evangélica pentecostal no Brasil, era italiano e Deus o converteu através da Congregação Cristã no Brasil. Sua contribuição é imensa para a CPAD, editora da Igreja Assembleia de Deus, igreja que desde o seu início preocupou-se em divulgar o evangelho através da impressão de pequenos jornais e posteriormente livros.

É lamentável que a denominação de origem de Emílio Conde nunca tenha tido esta iniciativa, tanto para divulgar a mensagem cristã como para possuir um órgão de comunicação com seus membros através da escrita. Com seu talento, Emílio Conde marcou a história da AD e ficamos a imaginar, quantos homens de Deus como ele, talentosos, nestes 100 anos de CCB, deixaram de ser aproveitados para o bem da irmandade e da divulgação do evangelho do Senhor Jesus Cristo.

Nasceu no dia 8 de outubro de 1901, em São Paulo. Seus pais, João Batista Conde e Maria Rosa eram de origem italiana. Conseqüentemente, o primeiro contato de Emílio com o Evangelho foi na Congregação Cristã no Brasil, fundada por italianos.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Cemiterio dos Protestantes

O Cemitério dos Protestantes de São Paulo



Alderi Souza de Matos

Além do seu significado sentimental e humano, os cemitérios são uma valiosa fonte de informações históricas e um vínculo importante com o passado, quer para indivíduos ou instituições. O objetivo deste artigo é tecer algumas considerações sobre a importância dos cemitérios para a história do protestantismo brasileiro e, em especial, destacar a relevância do Cemitério dos Protestantes de São Paulo para a história da Igreja Presbiteriana do Brasil.



sábado, 7 de agosto de 2010

HINO 376 HINARIO CCB


Durante a copa do mundo de futebol, a Alemanha se destacou, e por diversas vezes ouviu-se a execução do hino nacional alemão. O hino 376 do hinário atual da CCB, Hinos de Louvores e Súplicas a Deus, era cantado com a mesma melodia de Joseph Haydn, mas foi alterado.

A explicação é que havia muitos judeus morando próximo a CCB no bairro Bom Retiro em São Paulo e a execução do hino traziam-lhes lembranças dolorosas das atrocidades cometidas pelos nazistas na II Guerra mundial.  Outra explicação também aceita é que judeus convertidos na CCB também sentiam-se incomodados em cantar este hino com a melodia do hino nacional alemão.

domingo, 1 de agosto de 2010

Michele Nardi, o evangelista italiano

Michele Nardi

MICHELE NARDI


Michele Nardi foi o instrumento usado por Deus para evangelizar Louis Francescon e com certeza muito influenciou nas suas crenças e no seu modo de evangelizar. Pregador incansável que dedicou sua vida para anunciar o evangelho aos seus compatriotas, ele é a peça que faltava para compor o mosaico histórico do Movimento pentecostal Italiano.

A história deste grande missionário serve para desfazer também o mito de que Louis Francescon era um valdense, pois ele era um católico romano e Michele Nardi também era antes da sua conversão.  O fato dele conviver com os valdenses na Igreja presbiteriana italiana em Chicago não fez dele um valdense, pois anos depois ele deixará esta igreja, mesmo sendo formada por crentes valdenses, com um pastor abençoado como era Fillippo Grill. Este texto lança luz sobre o porque da união de Valdenses e presbiterianos.


Biografia

Michele Nardi nasceu em 2 de novembro de 1850 em Savignano sul Rabicone, província de Fróli na Itália, às margens direita do Rio Rubicone. Sua família era católica romana e seu pai era comerciante. Aos dezessete anos foi soldado voluntário e participou da Batalha de Mentana contra o exército de Napoleão III, que defendia o papado romano, tendo sido condecorado com duas medalhas por bravura.

sábado, 24 de julho de 2010

Santo Antonio da Platina

Santo Antonio da Platina
SANTO ANTONIO DA PLATINA

História

Esta pequena cidade no norte do Paraná tem papel importante na história da Igreja Congregação Cristã no Brasil e na época que Louis Francescon ali chegou não havia ainda alcançado a condição oficial de município, fato ocorrido em 31 de março de 1914.

O nome Santo Antônio da Platina é encontrado nos mapas desde 1896 (mapa mais antigo de que temos conhecimento). Na Criação do povoado de Jacarezinho que data de 1890 se encontra também o nome de Santo Antônio da Platina. A explicação atual é de que o nome foi dado por alguma autoridade de Jacarezinho e que é uma analogia, aos povoados vizinhos: da Prata e Ourinhos.

A história oficial do Paraná começa em 1853 com o desmembramento da Provincia de São Paulo, porém, muitos anos antes mineiros e paulistas atravessavam esta região do norte do Paraná, transportando gado do Rio Grande do Sul. A abertura de estradas, e a partir de 1880, de ferrovias, acelerou a ocupação da região. Desbravadores foram derrubando a mata virgem e tomando posse na margem esquerda do Rio Paranapanema. As terras férteis e baratas foram sendo ocupadas e povoados foram surgindo, sempre próximo aos rios.

Registra-se como um marco histórico a fundação do município de Santo Antônio da Platina, pois as adversidades encontradas pelos pioneiros foram muitas, sendo a conquista deste espaço escrita a suor, lágrimas e sangue. Hoje, os platinenses orgulham-se de seu passado de lutas e louvam seus pioneiros. As primeiras famílias chegaram por volta de 1880, vindas algumas em comitivas, para tomar posse de terras conseguidas junto ao governo ou adquiridas de particulares. A História regional mostra-nos que, antes da efetiva ocupação da localidade, alguns fatos movimentaram a região e nomes como o de Antônio Pinto da Fonseca (o fundador do povoado) tornaram-se familiares aos ouvidos dos desbravadores.


Uma pequena povoação formou-se nas proximidades das fraldas do morro do Bim, entre os ribeirões do Boi Pintado e da Aldeia, onde, mais tarde, floresceu a cidade de Santo Antônio da Platina. Em 6 de abril de 1900, através da Lei nº 358, o Estado do Paraná concedeu área de 250 hectares de terras, para servidão pública dos habitantes da povoação. No ano seguinte, a Lei nº 1, de 7 de janeiro, do município de Nova Alcântara (atual Jacarezinho) criou o Distrito de Paz no patrimônio de Santo Antônio da Platina.

Em 31 de março de 1914, pela Lei Estadual nº 1424, sancionada pelo Presidente do Estado do Paraná, Carlos Cavalcanti de Albuquerque, foi criado o município de Santo Antônio da Platina, com território desmembrado do município de Jacarezinho, cuja instalação se deu em 20 de agosto do mesmo ano, ocasião em que foram empossados o primeiro Prefeito Municipal e a primeira Câmara Municipal. Em 1929 foi elevada à categoria de cidade, graças à criação da comarca, instalada em 24 de maio do mesmo ano.

A partir desse período, verificou-se notável progresso no município, com a edição de obras públicas e melhoramentos dos serviços de comunicação e transporte.


Felipe Mascaro e 1º prédio da CCB - 05/06/1910
A Congregação Cristã no Brasil em Santo Antônio da Platina

Os italianos Vicenzo Pievani e Felipe Mascaro eram ambos casados com brasileiras e provavelmente chegaram à cidade pela oportunidade que o lugar prometia e tornaram-se os pioneiros da CCB e do Pentecostalismo no Brasil. Quando Louis Francescon sente-se impelido por de Deus para ir até Santo Antonio da Platina em busca de Vicenzo Pievani, descobre que não seria tarefa fácil. Segundo seu relato:

Para ir ao lugar onde o Senhor me ordenara, eu não tinha nenhum endereço e não ser o seguinte: V. Pievani, Sto. Antônio da Platina, Estado do Paraná. Havia só uma estrada de ferro que levava ao sul daquele Estado, porém, Sto. Antônio da Platina achava-se ao norte e distante mais de 200 quilômetros da estação mais próxima. (*)


Meu coração duvidava em tomar aquela estrada, porém, me senti de ir a estação e consultar o mapa e o Espírito Santo me indicou a tomar a Estrada de Ferro Sorocabana que percorria o Estado de São Paulo, passando por perto do norte do Estado do Paraná e sua última estação era Salto Grande.


Parti, de S. Paulo às 5,30 horas com uma terrível dor lombar que me impediu tomar alimento durante todo aquele dia. Cheguei a Salto Grande às 23 horas e nesse lugar o Senhor me disse ter preparado tudo para mim, a fim de cumprir minha missão; e assim aconteceu, porém, faltavam fazer cerca de 70 quilômetros a cavalo, atravessando matas virgens infestadas de jaguaras e outras feras existentes no lugar. Pela Graça de Deus, fiz este resto de viagem com um guia indígena, chegando em St. Antônio da Platina em 20 de Abril. (Histórico da Obra de Deus no Século Passado, CCB)

Vicenzo Pievani era um italiano originário da Província Macerata na Itália. Residente no Patrimônio de Santo Antônio da Platina, encontrou-se com Louis Francescon na Estação da Luz em São Paulo. Na casa (ou melhor, no hotel) de Vicenzo Pievani, em Santo Antônio da Platina, inicia-se a pregação de Louis Francescon no Brasil. Felício A. Mascaro,  um italiano também residente no povoado, em cuja casa Louis Francescon permaneceu por muitos dias, quando de sua estada em Santo Antônio da Platina, também aceitou a mensagem evangélica e foi o primeiro a ser batizado.

Segundo depoimento de João Alves Barreto, genro de Felício Mascaro, morador de Santo Antônio da Platina, a cerimônia de batismo somente ocorreu no dia 05 de junho de 1910, num córrego que cortava o povoado, hoje, denominado Ribeirão do Boi Pintado. Considerando que, pelo depoimento de Francescon, sua chegada ao povoado se deu no dia 20 de abril de 1910, passaram-se 45 dias até a referida cerimônia.

Louis Francescon teve ainda que enfrentar a oposição da comunidade católica da cidade instigados pelo pároco, e sofreu até ameaças de morte, mas Deus o guardou em todas as adversidades. Parte para a capital de São Paulo no dia 20 de junho e aparentemente encorajado pelos frutos ali no Paraná, em breve formará um outro núcleo da Congregação Cristã em São Paulo.

A primeira igreja em Santo Antonio da Platina foi construída em 1910 na Rua 24 de Maio. Felício Antônio Mascaro foi o primeiro Cooperador, de 1910 a 1940, Alfredo de Souza foi o primeiro Ancião, de 1920 a 1963 e Antônio Vaz Vieira é o atual ancião. Louis Francescon, Felício Antônio Mascaro, Vicente Pievani, Alfredo de Souza e Júlio Cirilo de Souza foram homenageados com nomes de ruas na cidade.

Atualmente há registro no Relatório CCB de 7 Congregações em Santo Antonio da Platina:

Bairro Aparecidinha II

Endereço: João Ribeiro Ferraz, 160.
CEP 86430-000

Bairro Parque Jandira
Endereço: Airton Senra, 219.
CEP 86430-000

Bairro Monte Real
Endereço: Vandelipo P. Santos, 158.
CEP 86435-000

Bairro Estação de Platina
Endereço: Prata, 57.
CEP 86430-000

Centro
Endereço: Benjamin Constant, 903.
CEP 86430-000

Bairro Vila Ribeiro
Endereço: Rotary Club, 326
CEP 86430-000

Sítio Ribeirão Bonito
Cidade Santo Antonio da Platina
CEP 86430-000

Igrejas CCB em Santo Antonio da Platina


Igreja Central Santo Antonio da Platina

Sítio Ribeiro Bonito

Santo Antonio da Platina hoje
 
Deograficamente localizada em ponto estratégico, fica a 370 km de Curitiba e a 400 km de São Paulo. Possui área de 721,625 km² e população de 42 mil pessoas.

O professor aposentado de Direito e de Língua Portuguesa, Israel Pereira de Castro, 74 anos, diz que os dados do IBGE conferem a Santo Antônio da Platina uma importância que transcende o aspecto regional. “Apenas quatro municípios no Paraná são classificados como capitais sub-regionais, Santo Antônio da Platina, Ivaiporã, Cianorte e União da Vitória. Isso indica que o município passou a oferecer serviços e produtos importantes para as cidades da região, ocupando assim, um lugar de destaque no estado”, analisa o professor

Imagens de Santo Antonio da Platina
 



Morro do Bim


Referências:






quinta-feira, 22 de julho de 2010

Italianidade na origem da CCB

A Italianidade na Gênese do Pentecostalismo Brasileiro

Gloecir Bianco


Resumo

Este artigo é uma síntese da monografia de mestrado em Ciências da Religião intitulada “UM VÉU SOBRE A IMIGRAÇÃO ITALIANA NO BRASIL”, onde o autor resgata alguns aspectos relevantes da imigração italiana para o Brasil.

Considera a permanência e adaptação dos imigrantes no estado de São Paulo, especificamente no bairro do Brás, mostrando faces de sua adaptação à realidade do país. Resgata a saga de Louis Francescon, um trabalhador simplório que ainda jovem, deixa sua terra natal no norte da Itália e parte em direção aos Estados Unidos da América. Após passar por uma profunda experiência pentecostal no início do século XX, Louis Francescon inicia uma fase de questionamento dos dogmas presbiterianos e inicia uma jornada solo que culmina com a viagem para a América Latina e Brasil, em busca de pregar o evangelho aos imigrantes italianos.

É no bairro do Brás em São Paulo, após uma passagem rápida pelo povoado de Santo Antonio da Platina, no norte pioneiro do estado do Paraná, que estabelece a Congregação Cristã no Brasil, a primeira denominação pentecostal brasileira. No início, conhecida e identificada por muitos como a “igrejinha dos italianos” e hoje, início do século XXI, perdeu por completo a memória italiana. Merece, contudo, destaque sua adaptabilidade à cultura brasileira.

Palavras chave: Italianidade, Etnia, Pentecostalismo

Gloecir Bianco: Graduado em Administração de Empresas, pós-graduado em Marketing, MBA em Gestão Avançada de Negócios, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

MOVIMENTO PENTECOSTAL ITALO-AMERICANO



Dentro da proposta do site de trazer conteúdos históricos sobre a CCB,  estou postando este resumo, de Josué Giamarco, que retrata os fatos ocorridos nos EUA e os principais personagens envolvidos, além de Louis Francescon.

Como a CCB não oferece aos membros uma historiografia completa, somos gratos aos autores destes estudos, fruto de muitas pesquisas.

sábado, 10 de julho de 2010

HINO 106 FALA FALA SENHOR



Hino 106 que fazia parte do hinário da CCB "Hinos de Louvores e Suplicas"  nº 3,  edição de 1951, apropriado para o momento da Palavra.










Melodia



Partitura

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Video Abertura da CCB Bras Sao Paulo

Video histórico da abertura da CCB Central do Brás-São Paulo.




quarta-feira, 30 de junho de 2010

CCB - CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

Louis Francescon
CCB - Congregação Cristã no Brasil

A Congregação Cristã no Brasil é uma comunidade religiosa cristã iniciada no Brasil em 1910, a partir das missões evangelísticas do ítalo-americano Louis Francescon.

Origem

No final do Século XIX, nos EUA, o italiano Louis Francescon, recebeu a mensagem do evangelho através do pregador independente Michele Nardi. Participou da fundação da primeira Igreja Presbiteriana em Chicago e nesta igreja ocupou o cargo de diácono e depois, ancião.

Recebeu, segundo seu relato, uma revelação acerca do batismo por imersão, que lhe advertia por não ter cumprido esse mandamento deixado por Jesus Cristo. Tal doutrina o separou e a alguns mais do grupo Presbiteriano-valdense ao qual pertenciam, que não a aceitou. Este grupo de italianos que separam-se, reunem-se sob os dizeres “Reunidos em Nome do Senhor Jesus” e dará origem a Igreja Assemblea Cristiana.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

COMUM CCB

Alambari - SP
Comum Congregação

Resolvi postar aqui este texto do irmão Edenelson, porque explica muito bem o que é uma Comum CCB em relação ao todo da denominação. 

O uso desta expressão é muito peculiar ao povo da Congregação Cristã no Brasil, dentre outras mais.

Comum congregação é a igreja da CCB que frequentamos habitualmente , sendo geralmente a mais próxima de nossa casa.

Por diversos motivos alguem poderá fazer comum numa igreja mais distante. De qualquer forma, comum é a celula ativa da CCB co-ligada às demais.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

ASSEMBLÉIA DE DEUS EM SÃO PAULO

Brasão da AD Ministério do Belém
O início da Congregação Cristã em São Paulo contou com membros da Igreja Presbiteriana e outras.  Também o início da Assembléia de Deus na capital, veio a contar com irmãos que se converteram e foram batizados na CCB.

Este relato da história da AD em são Paulo é importante, pois mostra como desde o início, a CCB também teve divergências doutrinárias, com os insatisfeitos se desligando e migrando para outras denominações ou fundando outras igrejas.

Antes da internet não tínhamos acesso a estas informações e por isso havia um mito no nosso meio de que nunca houvera rachas, divergências e dissidências.  Muitos irmãos tem pesquisado o tema, reunindo informações, como o irmão Marcelo Ferreira, autor do livro "Por Trás do Véu", e hoje sabemos que muitas divergências já ocorreram no meio CCB, assim como em outras igrejas evangélicas.


quinta-feira, 17 de junho de 2010

CCA - Congregação Cristã Apostólica

CCA em  Goiás
A CCA, Congregação Cristã Apostólica é uma igreja evangélica ainda desconhecida da grande maioria dos membros da CCB. O nome e o estilo das igrejas é parecido e alguns pensam tratar-se de uma imitação da CCB.


Assim como na CCB, o ministério não recebe salário, adota o sistema de ofertas e coletas voluntárias e as práticas administrativas também são bem semelhantes às da CCB. Diversas características na liturgia e nos costumes são herdados da CCB, porque a igreja nasceu de um sentimento de reforma no coração de ex-membros da CCB.

Foi fundada em 11 de novembro e 2001, em Aparecida de Goiânia, Goiás, pelo ex-cooperador da CCB nesta localidade, Antonio Silvério Pereira, acompanhado por familiares e alguns que saíram com ele da CCB. Tomaram parte nesta empreitada os membros da igreja Renovação Cristã, sob a liderança de outro ex-ccb, Fleury Rodriguez de Oliveira. Desta mesclagem, surgiu a CCA, Congregação Cristã Apostólica.

sábado, 5 de junho de 2010

AS MULHERES CCB CARAPICUIBA

ENTRE O RITO E O COTIDIANO: AS MULHERES DA IGREJA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL DA CIDADE DE CARAPICUÍBA

Mestrado em Ciências da Religião

São Paulo - 2008    PUC - SP

SÉRGIO ARAÚJO LEITE

RESUMO:

O tema, As mulheres da Igreja Congregação Cristã do Brasil em Carapicuiba, investiga a chegada da citada igreja nesse município, após a sua fixação em território brasileiro, na chamada Primeira Onda Pentecostal e a participação das mulheres dessa denominação no seu interior e na sociedade em geral. As mudanças ocorridas nas ultimas duas décadas e as repercussões dessas no interior da igreja.
A observação do cotidiano dessas mulheres teve início a partir do meu local de trabalho, a escola pública estadual, onde a atuação referente a escola (APM - Conselho de Escola, mães, e outras responsáveis por alunos da escola). A postura dessas mulheres diante dos problemas dava mostras de serem inspirações da pedagogia da Congregação Cristã.

A manutenção de um discurso oficial por parte da igreja, aparentemente acatado por todos, mas, que em muitos aspectos é driblado pelas mulheres no contexto da modernidade. Estudas essa igreja é analisar o grande conflito entre aqueles que buscam uma coerência e manutenção de sua origem com a sociedade emergida das transformações e necessidades sociais da mulher brasileira.

Analisar as mudanças ocorridas com essa mulher na sociedade, porém, não enxerga no interior da denominação nenhuma mudança pelo menos no discurso, uma vez que a tolerância a muitos comportamentos estranhos a doutrina ficaram evidentes. Enquanto os mais velhos se apegam aos antigos costumes, assiste-se a uma nova realidade que irá transformar toda a igreja. A mulher pentecostal da Congregação Cristã permanece em silêncio dentro da Igreja, porém, gestando uma transformação, ainda que de maneira discreta e vagarosa, sem enfrentamentos abertos, com a paciência adquirida pela própria pedagogia da Congregação Cristã, que irá repercutir e transformar a própria igreja.

Palavras-chave: Congregação cristã no Brasil, costumes, tradicional, modernidade, mulher e sociedade moderna.

Não deixe de baixar o arquivo em PDF completo desta tese.

Clique no link: AS MULHERES DA CCB CARAPICUIBA

sexta-feira, 4 de junho de 2010

INÍCIO CCB EM SANTO ANDRÉ - SP

CCB Central de Santo André
Histórico do início da CCB em Santo André, São Paulo

Como está relatado no Histórico da Obra de Deus, em 1.910, através de nosso irmão LOUIS FRANCESCON foi a Obra de Deus anunciada no Brasil, passando logo, a ser disseminada, principalmente entre a colônia italiana.


Nesse início, com a Obra De Deus totalmente desconhecida, em quase todos os lugares onde foi anunciada foi acompanhada de demonstração de virtude e poder, manifestando-se através de maravilhas e milagres.

Assim também foi em nossa região de Santo André e arredores, cujo inicio deu-se da seguinte forma:

Mais ou menos em junho de 1.915 a irmã AMÉLIA BORLENGHI foi a Santo André visitar sua cunhada ANGELINA GRENZI (que posteriormente veio a crer no Senhor Jesus), esposa do Sr. VICENTE GRENZI (que não chegou a crer).

terça-feira, 1 de junho de 2010

Tópicos Ensinamentos CCB 2010

75º ASSEMBLÉIA - 2010 – RESUMO DE ENSINAMENTOS



SÃO PAULO – 29 de março a 2 de abril de 2010

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES "EM NOME DO SENHOR JESUS”


quinta-feira, 27 de maio de 2010

Carta Louis Francescon 1954

Carta de Louis Francescon ao ministério da CCB reunido no Brás, no ano de 1954.

Em alguns sites, críticos da CCB afirmam que Louis Francescon alertou os ministros de que a Igreja central da CCB poderia se tornar uma nova Roma, alusão ao Vaticano. Alguém chega a dizer que Louis francescon "profetizou" que o Bras se tornaria uma nova "roma".

O que Louis Francescon diz na carta é: ninguém venha tentado a julgar que S.Paulo ao fim chegue a ser uma nova Roma. Ele fala de julgamento e não profetizou.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

INICIO DA CCB EM SÃO PAULO

Início da Congregação Cristã em São Paulo

Louis Francescon, missionário italiano, oriundo do movimento de avivamento pentecostal nos Estados Unidos, chega ao Brasil em março de 1910. Em Chicago, recebera a missão, através de revelações espirituais e profecia do pastor W. Durhan, para levar a mensagem do avivamento às comunidades italianas no mundo.


Em 1909, junto com Giácomo Lombardi e Lucia Menna embarcam para a Argentina, para evangelizar um parente de Lucia Menna. Após deixarem alguns convertidos e batizados na Argentina, Louis Francescon e G.Lombardi chegam à São Paulo em 8 de março de 1910.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...