Subscribe:

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Centenário CCB x AD

Centenário na CCB

Não se fala de centenário na CCB. Não há nenhum programa de comemoração do centenário da CCB neste ano de 2010, em andamento. Não foi criado selo comemorativo e nem há eventos ligados ao tema. Louis Francescon é um desconhecido da maioria da irmandade.

Para entender o motivo desta atitude da igreja, é preciso olhar para a história e para o seu ethos.




A dificuldade que temos com a história da denominação é que ela não é escrita. Não há registros históricos, onde podemos conhecer o que aconteceu nestes 100 anos, com exceção do livreto com o testemunho do fundador, Louis Francescon, que conta sobre o início da igreja.

Pelo conhecimento que chegou até nós e aquilo em que participamos no presente, sabemos que a denominação CCB é atípica. Sempre foi avessa ao uso de qualquer mídia para evangelizar ou promover a comunicação entre seus membros. A comunicação é sempre oral via tribuna.

O prédio da igreja nunca foi utilizado para cerimônia de casamento de algum membro ou outro evento secular, mas unicamente para serviços religiosos, reuniões e ensaios da parte musical. Da mesma forma o prédio onde realizamos os cultos não são cedidos para outras instituições realizarem algum evento.

Não há relatos, na história oral, de que a igreja comemorasse alguma data ou festa, por qualquer motivo. Mesmo nas aberturas ou inaugurações de novas igrejas (templos, como muitos dizem), só há uma festa espiritual, um culto, com muitos irmãos do ministério presente, mas seguindo o padrão litúrgico, com restrita manifestação do membro. Não ocorre nada semelhante aos eventos que outras igrejas promovem.

Tenho certeza que se for perguntar para um ancião porque a CCB não está comemorando o centenário, a resposta será mais ou menos assim: isto é coisa do mundo, e o Senhor nos separou do mundo para servir a Ele. Somos peregrinos nesta terra, o mundo é que se preocupa com datas e só há uma com qual devemos nos preocupar: o dia da volta do Senhor.

Ethos

Tudo isso pode parecer estranho para um novato na CCB ou mesmo o membro com alguns anos de caminho, mas que nunca atentou para as particularidades da denominação.

Na verdade, esta atitude obedece a uma linha de conduta interna na instituição, consolidada pela tradição nestes cem anos. É o que chamamos de ethos da denominação, ou traços característicos da mesma.

Nos escritos de Norbert H. C. Foerster - Poder e Política na CCB , encontrei a melhor explicação acadêmica:

(...) O historicismo da CCB está ligado à sua representação do tempo.
Este é construído como tempo de expectativa e aguardo de Deus; nega-se
a importância da história, a qual pertence ao mundo (por isso a CCB não se
importa com registros), valoriza-se o presente e o futuro. O membro da
CCB é como peregrino neste mundo a caminho da casa do pai. Enquanto
muitos sistemas religiosos pentecostais (especialmente os neopentecostais)
sobrevalorizam o hic et nunc (aqui e agora), a idéia do fim do mundo está sempre presente
na CCB. A própria frase com que os fiéis, no culto, costumam iniciar seus
testemunhos – “Eu agradeço a Deus pelo perdão dos meus pecados e pela
coroa da vida eterna que Ele me reserva se eu for fiel aos seus mandamentos”
– mostra como o presente (“fiel aos seus mandamentos”) deve ser vivido
no horizonte do futuro com Deus (“coroa da vida eterna que Ele me
reserva”). A constante repetição desta frase nos cultos ajuda a inculcar esta
representação e fazer da espera pela vinda do Senhor um habitus arraigado.


(...) Ligada à tradição oral, a estrutura social da CCB como gerontocracia
é legitimada pela tradição. Já vimos que os membros da CCB não obedecem
nem ao carisma de um líder, nem a uma estrutura burocrática, mas à tradição
e à ordem, da qual o ancião é apenas o guardião e representante. Ser o guardião
e representante da tradição legitima a autoridade do ancião. Uma vez que não
existe tradição por escrito, mas somente tradição oral, os anciãos, como
guardiões e representantes desta tradição e os contadores de história, são
membros cruciais da comunidade de tipo tribal que é a CCB. Eles agem
como “condutores” da tradição oral de geração em geração. Eles guardam e
transmitem a memória coletiva da CCB e são seus portadores. Esta memória
coletiva não existe petrificada por escrito, mas apenas fixada no rito: o rito é
o quadro social da memória da CCB. Nele, tanto a tradição religiosa e a
autoridade do ancião como a identidade de todo o grupo são reafirmadas.

Estes são os motivos pelos quais eu acredito que não se deve esperar qualquer comemoração da CCB pelo centenário. Poderá ser ouvido um comentário em um ou outro culto, mas eventos sobre o centenário, não condiz com seu modo de ser igreja.

Selo oficial
Centenário na AD

A igreja Assembleia de Deus, ou simplesmente AD, iniciou-se um ano depois da CCB, em 1911, e portanto, estará completando seu centenário no ano que vem.

Desde já, a igreja se organiza e se movimenta para comemorar em grande estilo o centenário da AD em Belém do Pará. A AD é representada por diversos ministérios e a maioria das igrejas AD são associadas a estas duas confederações: CGADB e CONAMAD.
Selo campanha pela unidade

A comemoração do centenário tem um apelo de união entre os  vários ministérios, evideciado no selo da campanha.

As diferenças com a CCB são muitas. Enquanto a CCB não promove qualquer comemoração sobre o seu centenário, a AD se mobiliza um ano antes da data, para comemorar em grande estilo.

Como se nota, bem diferente a postura das duas igrejas pentecostais mais antigas do Brasil. Isso não significa, de maneira alguma que uma ou outra esteja certa ou errada. Este artigo tem a mera intenção de informar o porque a CCB não comemora o centenário, não servindo para julgar o que a AD ou outra igreja faz ou deixa de fazer, pois cada uma tem a sua história.

 






História

17 comentários:

Ricardo Oliveira disse...

Cda qual com seu princípcio. O da CCB se limita ao que Deus recomenda.

Administrador disse...

Eu esperava tudo da AD, mas o cartão de crédito foi o fim pra mim... acabaram as igrejas de Cristo confiaveis na terra... segurem-se quem puder.. a peneira vai passar!

lucas disse...

se ccb é desoganizada e não guarda seu arquivos isso é problema de vcs
agora criticar a assembleia de deus por comemora o centenario ai vcs perde a razão

Valdeci disse...

Lucas, grato pelo comentário, mas veja que não estou criticando a AD. Apenas reproduzi fatos reais como a história de dar nome a avenida e o cartão de crédito, noticiado por blogueiros assembleianos. Procurei apenas mostrar a diferença entre as duas igrejas com relação ao centenário.

Deus te abençoe e parabéns pelo centenário da sua denominação.

Gustavo disse...

Nos tempos em que vivemos que o mundo esta sedento de Deus e quase surreal uma pessoa criticar uma igreja por dar nome a avenida e tals, vamos ficar enclausurados em nossa igrejinhas bonitinhas e luxuosas enquanto o coro desce la fora, maçonaria dominando a política, as finanças, e ate os altos cargos das CCB e AD, enquanto isso agente ta la orando pelo Brasil mas não tiramos a bunda dos belos bancos das nossas igrejas, Fé não e monopólio de igreja nenhuma, e os missionários de satanás que estao dentro das nossas igrejas esta muito felizes por simplificarmos a Fé á picuinhas e criancices.

Valdeci disse...

Prezado irmão Gustavo, grato pelo comentário, mas veja que não estou criticando a AD. Apenas reproduzi fatos reais como a história de dar nome a avenida e o cartão de crédito, noticiado por blogueiros assembleianos. Procurei apenas mostrar a diferença entre as duas igrejas com relação ao centenário.

Deus te abençoe e parabéns pelo centenário da sua denominação.

J♪. disse...

Me desculpe irmão, mas de acordo com o link a seguir e com a própria entrevista vista no artigo, a CCB não parece ter chegado ao Centenário tão tranquilamente como o irmão expoe no seu texto: http://novoinprbrasil.blogspot.com/2011/04/ccb-em-crise-escandalos-e-dissidencias.html

A Paz de Deus!

Valdeci disse...

Prezado irmão, eu sei dos problemas e aqui mesmo no site tenho falado de pelo menos duas igrejas fundadas por ex-membros.

Qdo falo tranquilamente é em relação a comemorações seculares sobre o centenário. Mesmo qdo cito a AD é a respeito do centenário, e não outros assuntos.

A respeito do link que vc colocou, não é novidade, mas também não se deve dar crédito a quem se intitula apolegetico, classificando igrejas sérias como a CCB, como pseudo-cristã.

Anônimo disse...

meus amigos da ccb se vcs ñ comemorou o centenario de vcs fica na tua ;;;;;;;;;;;vcs se vcs fazem festa de aniversario e por que nao podemos fazer festa do centenario da igreja q eu congrego?

Valdeci disse...

Não disse que voces não podem, amigo. A CCB é que não comemorou devido aos motivos que expliquei, mas voces tem todo o direito de comemorar, com certeza.
Deus abençoe e continue visitando o blog.

Anônimo disse...

Fazem bem em não se opor nas políticas,irmãos da CCB,nessa maçonaria toda que só se vê corrupção! Admiro a doutrina de vocês,são os únicos que preservam as ordens do Mestre...

joni disse...

O pior de tudo pessoas que tenho duvida se são realmente da ccb ficam criando blogs,site...para ficar crindo discução sobre a igreja,ou melhor ficam discutindo com outras pessoas que são de outra igreja e esquece qual é o real objetivo dos que estão na ccb. Pelo que entendo os irmãos são guiados por Deus para nos orientar em abster destas coisas,pois estamos nos tempos de nos se apreparar nossas almas e nos livrar de todo que desagrada a Deus. Tenho certeza absoluta Deus não se agrada dessas coisas. Ficar conflingindo ccb com outras isso é totalmente fora do que Deus nos orienta. Não importa se a igreja é centenária ou não as comemorações não é nosso objetivo. Deus nos chamou para outros fins, nos chamou para o servir de puro e sincero coração,isso é o suficiente para nos qualificar e receber de suas mãos o que nos prometeu.

Anônimo disse...

a paz de Deus,e assim q temos q agir joni em paz e servi o nosso deus...



Anônimo disse...

gostaria muito de poder congregar na igreja do bras,mais um dia se for da vontade de deus irei,fiquem c deus..

Anônimo disse...

Alguem pode me explicar o q e isso uma politica,de fé de igreja,meus queridos irmao da ccb sou crente e vendo essa postagem ccbXad ne senti triste pois somos da ccb irmao e n e isso q passamos para o proximo,vamos orar muito....a paz de deus esteja c vcs....

shirlei estevam lopes disse...

só para responder ao nosso colega ADMINISTRADOR q falou sobre o cartão de crédito na AD,eu fui a quase 20 anos da CCB,eles ñ pedem cartão de crédito,porém eles vem em casa,ou melhor na casa certa pedirem para os seus irmãos ajudarem na obra,isso tb é bonito?Isso fica tudo escondido ,por debaixo dos panos.

celo disse...

A CCB É UMA IGREJA ESPIRITUAL, É O QUE O ESPÍRITO SANTO NOS ENSINA. PORTANTO NÃO COMEMORAMOS NENHUMA DATA MATERIAL NO QUE DIZ RESPEITO À GRAÇA DE CRISTO. NÃO NOS ASSEMELHAMOS COM O MUNDO. PQ É COMO O SENHOR JESUS DIZ: QUE ESTAMOS NO MUNDO MAIS DO MUNDO NÃO SOMOS.
A NOSSA COMEMORAÇÃO É QDO SERVINDO A CRISTO, PASSAMOS A TER ÊXITO SOBRE O ADVERSÁRIO DAS NOSSAS ALMAS, VENCENDO-O.
É O ESPÍRITO SANTO DA GRAÇA QUEM NOS REGE.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...