Subscribe:

sábado, 24 de julho de 2010

Santo Antonio da Platina

Santo Antonio da Platina
SANTO ANTONIO DA PLATINA

História

Esta pequena cidade no norte do Paraná tem papel importante na história da Igreja Congregação Cristã no Brasil e na época que Louis Francescon ali chegou não havia ainda alcançado a condição oficial de município, fato ocorrido em 31 de março de 1914.

O nome Santo Antônio da Platina é encontrado nos mapas desde 1896 (mapa mais antigo de que temos conhecimento). Na Criação do povoado de Jacarezinho que data de 1890 se encontra também o nome de Santo Antônio da Platina. A explicação atual é de que o nome foi dado por alguma autoridade de Jacarezinho e que é uma analogia, aos povoados vizinhos: da Prata e Ourinhos.

A história oficial do Paraná começa em 1853 com o desmembramento da Provincia de São Paulo, porém, muitos anos antes mineiros e paulistas atravessavam esta região do norte do Paraná, transportando gado do Rio Grande do Sul. A abertura de estradas, e a partir de 1880, de ferrovias, acelerou a ocupação da região. Desbravadores foram derrubando a mata virgem e tomando posse na margem esquerda do Rio Paranapanema. As terras férteis e baratas foram sendo ocupadas e povoados foram surgindo, sempre próximo aos rios.

Registra-se como um marco histórico a fundação do município de Santo Antônio da Platina, pois as adversidades encontradas pelos pioneiros foram muitas, sendo a conquista deste espaço escrita a suor, lágrimas e sangue. Hoje, os platinenses orgulham-se de seu passado de lutas e louvam seus pioneiros. As primeiras famílias chegaram por volta de 1880, vindas algumas em comitivas, para tomar posse de terras conseguidas junto ao governo ou adquiridas de particulares. A História regional mostra-nos que, antes da efetiva ocupação da localidade, alguns fatos movimentaram a região e nomes como o de Antônio Pinto da Fonseca (o fundador do povoado) tornaram-se familiares aos ouvidos dos desbravadores.


Uma pequena povoação formou-se nas proximidades das fraldas do morro do Bim, entre os ribeirões do Boi Pintado e da Aldeia, onde, mais tarde, floresceu a cidade de Santo Antônio da Platina. Em 6 de abril de 1900, através da Lei nº 358, o Estado do Paraná concedeu área de 250 hectares de terras, para servidão pública dos habitantes da povoação. No ano seguinte, a Lei nº 1, de 7 de janeiro, do município de Nova Alcântara (atual Jacarezinho) criou o Distrito de Paz no patrimônio de Santo Antônio da Platina.

Em 31 de março de 1914, pela Lei Estadual nº 1424, sancionada pelo Presidente do Estado do Paraná, Carlos Cavalcanti de Albuquerque, foi criado o município de Santo Antônio da Platina, com território desmembrado do município de Jacarezinho, cuja instalação se deu em 20 de agosto do mesmo ano, ocasião em que foram empossados o primeiro Prefeito Municipal e a primeira Câmara Municipal. Em 1929 foi elevada à categoria de cidade, graças à criação da comarca, instalada em 24 de maio do mesmo ano.

A partir desse período, verificou-se notável progresso no município, com a edição de obras públicas e melhoramentos dos serviços de comunicação e transporte.


Felipe Mascaro e 1º prédio da CCB - 05/06/1910
A Congregação Cristã no Brasil em Santo Antônio da Platina

Os italianos Vicenzo Pievani e Felipe Mascaro eram ambos casados com brasileiras e provavelmente chegaram à cidade pela oportunidade que o lugar prometia e tornaram-se os pioneiros da CCB e do Pentecostalismo no Brasil. Quando Louis Francescon sente-se impelido por de Deus para ir até Santo Antonio da Platina em busca de Vicenzo Pievani, descobre que não seria tarefa fácil. Segundo seu relato:

Para ir ao lugar onde o Senhor me ordenara, eu não tinha nenhum endereço e não ser o seguinte: V. Pievani, Sto. Antônio da Platina, Estado do Paraná. Havia só uma estrada de ferro que levava ao sul daquele Estado, porém, Sto. Antônio da Platina achava-se ao norte e distante mais de 200 quilômetros da estação mais próxima. (*)


Meu coração duvidava em tomar aquela estrada, porém, me senti de ir a estação e consultar o mapa e o Espírito Santo me indicou a tomar a Estrada de Ferro Sorocabana que percorria o Estado de São Paulo, passando por perto do norte do Estado do Paraná e sua última estação era Salto Grande.


Parti, de S. Paulo às 5,30 horas com uma terrível dor lombar que me impediu tomar alimento durante todo aquele dia. Cheguei a Salto Grande às 23 horas e nesse lugar o Senhor me disse ter preparado tudo para mim, a fim de cumprir minha missão; e assim aconteceu, porém, faltavam fazer cerca de 70 quilômetros a cavalo, atravessando matas virgens infestadas de jaguaras e outras feras existentes no lugar. Pela Graça de Deus, fiz este resto de viagem com um guia indígena, chegando em St. Antônio da Platina em 20 de Abril. (Histórico da Obra de Deus no Século Passado, CCB)

Vicenzo Pievani era um italiano originário da Província Macerata na Itália. Residente no Patrimônio de Santo Antônio da Platina, encontrou-se com Louis Francescon na Estação da Luz em São Paulo. Na casa (ou melhor, no hotel) de Vicenzo Pievani, em Santo Antônio da Platina, inicia-se a pregação de Louis Francescon no Brasil. Felício A. Mascaro,  um italiano também residente no povoado, em cuja casa Louis Francescon permaneceu por muitos dias, quando de sua estada em Santo Antônio da Platina, também aceitou a mensagem evangélica e foi o primeiro a ser batizado.

Segundo depoimento de João Alves Barreto, genro de Felício Mascaro, morador de Santo Antônio da Platina, a cerimônia de batismo somente ocorreu no dia 05 de junho de 1910, num córrego que cortava o povoado, hoje, denominado Ribeirão do Boi Pintado. Considerando que, pelo depoimento de Francescon, sua chegada ao povoado se deu no dia 20 de abril de 1910, passaram-se 45 dias até a referida cerimônia.

Louis Francescon teve ainda que enfrentar a oposição da comunidade católica da cidade instigados pelo pároco, e sofreu até ameaças de morte, mas Deus o guardou em todas as adversidades. Parte para a capital de São Paulo no dia 20 de junho e aparentemente encorajado pelos frutos ali no Paraná, em breve formará um outro núcleo da Congregação Cristã em São Paulo.

A primeira igreja em Santo Antonio da Platina foi construída em 1910 na Rua 24 de Maio. Felício Antônio Mascaro foi o primeiro Cooperador, de 1910 a 1940, Alfredo de Souza foi o primeiro Ancião, de 1920 a 1963 e Antônio Vaz Vieira é o atual ancião. Louis Francescon, Felício Antônio Mascaro, Vicente Pievani, Alfredo de Souza e Júlio Cirilo de Souza foram homenageados com nomes de ruas na cidade.

Atualmente há registro no Relatório CCB de 7 Congregações em Santo Antonio da Platina:

Bairro Aparecidinha II

Endereço: João Ribeiro Ferraz, 160.
CEP 86430-000

Bairro Parque Jandira
Endereço: Airton Senra, 219.
CEP 86430-000

Bairro Monte Real
Endereço: Vandelipo P. Santos, 158.
CEP 86435-000

Bairro Estação de Platina
Endereço: Prata, 57.
CEP 86430-000

Centro
Endereço: Benjamin Constant, 903.
CEP 86430-000

Bairro Vila Ribeiro
Endereço: Rotary Club, 326
CEP 86430-000

Sítio Ribeirão Bonito
Cidade Santo Antonio da Platina
CEP 86430-000

Igrejas CCB em Santo Antonio da Platina


Igreja Central Santo Antonio da Platina

Sítio Ribeiro Bonito

Santo Antonio da Platina hoje
 
Deograficamente localizada em ponto estratégico, fica a 370 km de Curitiba e a 400 km de São Paulo. Possui área de 721,625 km² e população de 42 mil pessoas.

O professor aposentado de Direito e de Língua Portuguesa, Israel Pereira de Castro, 74 anos, diz que os dados do IBGE conferem a Santo Antônio da Platina uma importância que transcende o aspecto regional. “Apenas quatro municípios no Paraná são classificados como capitais sub-regionais, Santo Antônio da Platina, Ivaiporã, Cianorte e União da Vitória. Isso indica que o município passou a oferecer serviços e produtos importantes para as cidades da região, ocupando assim, um lugar de destaque no estado”, analisa o professor

Imagens de Santo Antonio da Platina
 



Morro do Bim


Referências:






0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...