Subscribe:

segunda-feira, 21 de março de 2011

Se eu sou homem de Deus

profeta Elias

Será mesmo que precisa um crente ou líder espiritual repetir estas palavras para profetizar ou para que ocorra milagres na vida de alguém? Eu creio que não.

Estas palavras foram pronunciadas pelo profeta bíblico Elias, numa situação específica, no Antigo Testamento. Como está na moda copiar símbolos judaicos, estas palavras também são copiadas, mas qual a intenção por trás delas? Pura encenação.

No livro de 2 Reis, capítulo 1, conta a história do rei israelita Acazias, um rei que não confiava em Deus, por ser ímpio. Ele caiu de um quarto alto e adoeceu, e enviou mensageiros para consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom, se ele iria sarar.

No caminho os mensageiros encontraram Elias, que os mandou de volta com a profecia de que o rei iria morrer, e a censura: Não há Deus em Israel, para que você vá perguntar a Baalzebu, o deus de Ecrom?

Ouvindo o que os mensageiros disseram, o rei enviou três companhias de cinqüenta soldados cada para buscar Elias. O capitão da primeira companhia arrogantemente disse a Elias: Homem de Deus, o rei disse: Desce!

Elias, impulsionado por Deus, porque dele mesmo, sabemos que não tinha esta coragem, respondeu: Se eu sou homem de Deus desça fogo do céu e consuma a ti e a teus cinqüenta. Então desceu fogo e os consumiu.

O segundo capitão de cinqüenta foi mais arrogante ainda: Homem de Deus, o rei disse: Desce depressa! O mesmo ocorre com ele e seus soldados, são consumidos pelo fogo do céu. O terceiro capitão, humilhou-se, ajoelhando diante de Elias e pedindo por sua vida e pela de seus soldados. O anjo do Senhor disse a Elias: Não tenhas medo deste. Pode descer!

Pelas palavras do anjo podemos perceber que as palavras de Elias e o fogo não foram por causa de um ato de valentia de Elias, de querer mostrar que ele era O CARA que falava e acontecia, mas porque Deus assim o quis. Muitos pegam esta parte e querem reproduzir exatamente esta impressão, a de que Elias quis mostrar que era homem de Deus. O anjo disse claramente: desce com este, não temas. Elias estava temeroso sobre o que poderia lhe acontecer com aqueles 50 soldados, portanto, a coragem, a bravura, não é do homem, mas é de Deus, e somente Ele merece ser exaltado. O ato de Elias, exalta a Deus, porque aquele rei era ímpio e havia ido buscar os ídolos. E aqueles soldados iriam empregar a força para levá-lo ao rei.

Portanto, devemos ler as passagens do Antigo Testamento e saber situá-las nos devidos acontecimentos, e não querer repetir hoje, atitudes e símbolos de uma era, onde Deus era chamado de Deus de Abraão, Deus de Isaque, etc., não se falava Nosso Deus, como hoje temos este direito, por Jesus Cristo.

Os discípulos: pedir fogo do céu.

Jesus não permitiu que seus discípulos fizessem o mesmo que Elias, quando em viagem para Jerusalém, não encontraram pousada numa aldeia. Tiago e Joäo, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se, porém, repreendeu-os, e disse: Vós näo sabeis de que espírito sois. Porque o Filho do homem näo veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las. E foram para outra aldeia.(Luc 9:54-56)

Os discípulos queriam mostrar reputação, quem eles eram junto ao Senhor, mas Jesus estava preocupado em cumprir a missão do Pai, não em mostrar reputação.

Não pode

O cristão não pode se vingar de ninguém, não pode odiar, mas amar, até os inimigos, e portanto, não pode pedir que fogo do céu consuma os seus inimigos, mas que Deus abra suas mentes e lhes mostre o caminho de salvação, que é Cristo. Jesus não permitiu aos seus discípulos reproduzirem a mesma situação de Elias, situação específica do Antigo testamento, pedindo destruição de pessoas, por motivos banais e não permite para nós cristãos, pedirmos destruição de ninguém. O cristão deve orar e entregar nas mãos de Deus.

Não precisa

Jesus nos ensinou a pedir no Seu Nome ao Pai, tudo o que precisamos. Não podemos ir além disso, dizendo palavras de efeito: se eu sou homem de Deus, se eu sou Teu servo, e variações como: se Tua Palavra é verdade, se estou pregando pelo Espírito, se é Deus quem fala na minha boca, etc.

Para Deus operar, não precisa falar nada disso. Os profetas falavam de uma maneira no Antigo Testamento por causa do contexto e as pessoas precisavam disso para crer que o profeta era enviado de Deus, e mesmo assim, não obedeciam.

Hoje temos a Palavra de Deus, a Bíblia, A verdade, que nos diz tudo a respeito de Jesus e da salvação. O pregador só precisa pregar o que está escrito, que sempre será verdadeiro. O Nome de Jesus sempre em primeiro lugar, em tudo, e estará de acordo com as Escrituras. Não precisa colocar o EU na frente.

Quando um crente, seja líder ou não, diz: Se eu sou homem de Deus..., perante uma platéia de ouvintes crentes ou não-crentes, ele está encenando e geralmente se exaltando, buscando maior credibilidade para sua pessoa, coisa que não vemos no Novo Testamento os apóstolos fazerem. Não julgo os milagres que possam ocorrer, estou apenas me baseando naquilo que a Bíblia ensina.

Milagres, os apóstolos

Jesus prometeu aos seus discípulos, que os sinais e maravilhas os seguiriam, e podemos verificar no livro de Atos dos Apóstolos o cumprimento desta promessa. Os apóstolos de Jesus conheciam o dom que estava neles, e por isso, não vemos eles dizerem: Se eu sou homem de Deus, aconteça isso ou aquilo. Eles tinham certeza que eram homens de Deus, tomados pelo Espírito Santo. Vejam alguns exemplos de milagres que Deus operou através dos apóstolos:

Cura de um homem coxo: E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. (Atos 3:6).

Cura de Enéias: Pedro diz: Jesus Cristo te dá saúde! (Atos 9:34)

Cura de Dorcas: Pedro manda todos sairem do quarto, dobra os joelhos e ora a Deus e Dorcas ressuscita. (Atos 9: 36-41)

Milagres operados através de Paulo e Barnabé, da mesma forma:

Cura de um homem coxo: Disse em voz alta: Levanta-te direito sobre teus pés. E ele saltou e andou.(Atos 14:10)

Ressuscitamento do jovem Eutico: E, estando um certo jovem, por nome Êutico, assentado numa janela, caiu do terceiro andar, tomado de um sono profundo que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo; e foi levantado morto.Paulo, porém, descendo, inclinou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis, que a sua alma nele está. (Atos 20:9-11)

Cura do pai de Públio: aconteceu estar de cama enfermo de febre e disenteria o pai de Públio, que Paulo foi ver, e, havendo orado, pôs as mãos sobre ele, e o curou. (Atos 28:8).

Em todos os milagres relatados de Atos à Apocalipse, os apóstolos não dramatizaram, não encenaram, não se exaltaram, não fizeram shows, e a cura foi perfeita, instantânea, sem retorno, exaltando a Jesus e confirmando a palavra do evangelho que anunciavam.

Não importa o tipo de platéia, não se pode querer causar impacto nos ouvintes e nem terror, como se fosse um profeta ressurgido lá do Antigo Testamento, com a boca pronta para pronunciar uma maldição. O impacto deve ser pela verdade da pregação, não pela encenação. O evangelho de Jesus Cristo deve ser pregado de forma simples, direta, tocando os corações, trazendo as almas para o abrigo do Senhor, semeando paz e alegria.

3 comentários:

LILIANE CAMARGOS disse...

Ótima explicação. Deus te abençoe!

ismael disse...

paz de Deus gostei aprendi muinta coisa.

Rafael Pinheiro Pacheco disse...

NÃO CONCORDO COM VOCÊ !!!! SE UM PASTOR FAZ UM DESAFIO COMO ESTE NÃO PARA ENCENAR OU SE MOSTRAR, MAS IMITANDO A FÉ QUE ELIAS APRESENTOU NAQUELE MOMENTO, UM DESAFIO!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...