Subscribe:

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Pregar Cristo no Antigo Testamento

Pregar Cristo no Antigo Testamento


Há um assunto muito importante para aqueles que pregam a Palavra na Igreja, tenha ministério ou não, que é: Cristo no Antigo Testamento. Cristo está presente no AT do início ao fim, e isto foi declarado pelo próprio Jesus e por seus apóstolos. Todos os livros bíblicos falam de Cristo, de uma maneira ou outra, apontando para o Salvador.

Muitos pregadores, porém, tem dificuldade para pregar Jesus Cristo, tendo como base os textos que relatam histórias do povo hebreu, biografias dos patriarcas, profecias, e outros assuntos. Por causa disso muitos pregadores optam por pregar Salmos, cujos poemas servem melhor para embasar uma pregação de consolação, subjetiva e atemporal, que não demanda um conhecimento de como o Antigo Testamento fala de Cristo.

Esta dificuldade não é apenas de irmãos da Congregação Cristã, pois, muitos ministros evangélicos que ainda pregam de forma expositiva, preocupam-se mais com o texto bíblico e em não se desviar do texto. O mesmo pode-se dizer de muitos irmãos na CCB, que pregam, seguindo o texto bíblico, linha por linha, prendendo-se ao assunto do texto, não conseguindo pregar Cristo no Antigo Testamento. Se é sobre Abraão, fica só na história de Abraão, se é Davi, fica só nos fatos relacionados a Davi e assim por diante.

Pregação Cristocêntrica

Cristo é o centro da pregação e pregação cristã é aquela cujo foco é Cristo, que fala de Cristo. Fora disso, o discurso pode ser maravilhoso e motivador, mas não é a pregação cristã, que liberta, converte, salva e conforta.

Há várias maneiras de pregar Cristo através do Antigo Testamento, sendo as mais usadas, citar o cumprimento de profecias, comparar os personagens bíblicos (tipologia), comparar fatos e eventos (analogia), linguagem figurada ( alegoria) e usar citações do Novo Testamento, contrastando as passagens.

Não é tarefa fácil, principalmente para pregadores iniciantes, que devem clamar a Deus e ler bastante a Bíblia, buscando conhecimento das histórias, profecias, do contexto e da ligação histórica que há entre os livros do Antigo Testamento, para não pregarem incoerências. Muitos bons pregadores no nosso meio dedicam um tempo para examinar a Bíblia e adquirem sólido conhecimento, muito útil na hora de pregarem. Estou falando de aprendizado e não de ficar lendo e formulando pregações no oculto da mente e esse conhecimento independe de qualquer revelação que Deus possa trazer em mente para o pregador, no momento da pregação.

Alguém poderá argumentar que prega sobre Deus quando lê uma passagem do Antigo Testamento. Sim, principalmente quando trata-se de biografias dos patriarcas ou outro, o pregador fica só falando de Deus o tempo todo, porque no texto não irá achar escrito a palavra Cristo ou Jesus, mas o Antigo Testamento inteiro foi escrito por causa Dele, Cristo.

Pregar Cristo no antigo Testamento exige que o pregador se conscientize de algumas coisas: A igreja é cristã; seus ouvintes são basicamente dois grupos: batizados e não-batizados, e ambos necessitados de Cristo.

Igreja cristã: chama-se Congregação Cristã e na parede atrás do púlpito e na tribuna estão as palavras "Em Nome do Senhor Jesus". É inadmissível não pregar Cristo dentro duma igreja desta, mas isto acontece  e já presenciei várias vezes.
Os batizados, o foram no Nome do Senhor Jesus Cristo, sepultados com Ele na Sua morte e estão ali por Sua morte na cruz. Jesus deixou-nos exemplos e ensinos que nós precisamos compreender para vivermos neste mundo e para cumprirmos nossa missão, que é anunciar Cristo. Quanto mais se pregar Cristo, mais as pessoas aprenderão o que é ser cristão, a conviver com a provação e a dor , e a serem fortes nas fraquezas, crendo que Cristo é tudo na nossa vida.

O segundo grupo de ouvintes são aquelas pessoas que precisam ouvir mais sobre Jesus Cristo, para poderem dar o primeiro passo para a salvação. Alguns estão na igreja pela primeira vez e talvez não tenham outra oportunidade e outros já ouviram o testemunho mas ainda estão cheios de dúvidas. A pregação precisa falar de Cristo, pois não há outro Nome pelo qual devemos ser salvos. Os não-batizados necessitam muito aprender sobre o Senhor Jesus e muitos entram ali em desespero, precisando duma palavra de libertação e da paz que somente Cristo pode dar.

Muitos pregam por quase uma hora, com grande habilidade sobre o Antigo Testamento, até dramatizando as passagens bíblicas, o que prende a atenção dos ouvintes, mas de nada adianta, a pregação vira uma palestra, se não for centrada em Cristo. Prefira pregar 10 minutos, mas uma pregação cristã, onde Cristo está no início, meio e fim da pregação.

Pregadores da palavra de Deus, o tempo é curto e precisa ser bem aproveitado. Não deixe a Igreja sem ouvir Cristo na sua pregação e nem as pessoas que não conhecem a graça de Deus entrarem na sua igreja e sairem da mesma maneira, sem entender a razão de estar ali, sem ouvir a Palavra que transforma vidas, sem receber a cura, senão a material, pelo menos a espiritual.

Leia o Novo Testamento, veja os exemplos de Pedro, Paulo e verás como eles pregavam Cristo através do Antigo Testamento. Se pregar doutrina, que seja a doutrina de Cristo, cujo fardo é leve e suave; se pregar consolação, que sejamos consolados pelo amor de Jesus, o qual se entregou e foi crucificado por nós, na cruz.

Termino com este texto de Charles Spurgeon, grande pregador do século 19, que reflete muito bem a necessidade que temos da pregação cristocêntrica,  ainda que o texto-base seja uma passagem do Antigo Testamento.

Você se lembra da história do gaulês que ouviu um jovem pregar um sermão magnífico, grandioso, pretensioso e bombástico; e, depois de chegar ao fim, perguntou ao gaulês o que achava a respeito.

O homem respondeu que não dava nenhum valor a ele.

“E por que não?”
“Porque não havia nele nada de Jesus Cristo.”
 “Ora”, disse o pregador, “mas meu texto não apontava naquela direção”.
“Não importa”, disse o gaulês, “seu sermão deve seguir naquela direção”.
“Não vejo o assunto assim”, disse o jovem.
“Então”, disse o outro, “você ainda não vê como deve pregar.

 O modo certo de pregar é o seguinte: De cada aldeia minúscula na Inglaterra — não importa em que região — sempre sai, com toda a certeza, uma estrada para Londres. Embora talvez não haja estrada para outros lugares, certamente haverá uma estrada para Londres. Da mesma forma, de cada texto na Bíblia há uma estrada que leva a Jesus Cristo, e o modo certo de pregar é, simplesmente, dizendo: ‘Como posso, tomando esse texto como ponto de partida, chegar até Jesus Cristo?’ e, então, ir pregando pela estrada afora”.

“Mas”, disse o jovem, “suponhamos que descubro um texto que não tem uma estrada que leva a Jesus Cristo?”

“Faz quarenta anos que estou pregando”, disse o velho, “e nunca achei um texto bíblico assim; mas se chegar a achar um, passarei por sebes e cercas, e chegarei até Ele, porque nunca termino sem introduzir meu Mestre no sermão”.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...