Subscribe:

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Logomarcas de Igrejas

O termo logomarca é utilizado no Brasil de forma genérica para se referir ao conjunto de símbolos, logotipo e desenhos gráficos que identificam imediatamente uma empresa ou uma marca.

As organizações  investem bastante dinheiro na  criação de uma logomarca forte,  que diferencie o seu produto ou serviço, traga uma fidelização do cliente à marca e proteja a organização contra outros concorrentes.

Logomarca é um grande patrimônio,  uma excelente ferramenta de marketing, usada nos produtos, correspondências, fachadas, campanhas, etc, e recebe muita atenção das empresas.

Logomarcas de igrejas e símbolos

A cruz e a estrela de Davi são exemplos de símbolos  fortes associados com o cristianismo e o judaísmo, respectivamente.    A cruz  é anterior à religião cristã, mas foi associada ao cristianismo desde o segundo século e na Idade Média, a Igreja Católica a tornou uma logomarca forte, associada com a Igreja  de Roma.  Com a Reforma Protestante, a igreja perdeu a hegemonia , surgiram muitas denominações cristãs e muitas conservaram a cruz como símbolo de Cristo.
Muitas igrejas que surgiram após a Reforma, buscaram uma representação através do uso de símbolos e há séculos que o desenho da cruz, da chama e do livro aberto são usados nas logomarcas das igrejas,  representando Cristo, o Espírito Santo e a Bíblia.
Na construção da logomarca de uma igreja,  também há uma tentativa  de combinar alguns elementos que caracterizam a igreja e representá-los, mas geralmente, estes elementos não são facilmente compreendidos, sem a consulta a um manual técnico explicativo.

Igreja Metodista Unida

Esta logo marca foi criada em 1968, quando duas igrejas se uniram, Metodista e Evangélica dos Irmãos Unidos., formando a Igreja Metodista Unida.  A chama e a cruz,  representam o Espírito Santo e Cristo, e as chamas carregam ainda o significado das línguas de fogo do Pentecostes e da união das duas denominações.  





Igreja presbiteriana (USA)
Esta logomarca da Igreja Presbiteriana nos Estados Unidos,  elaborado por uma empresa de designer  em 1983, resultou da combinação de oito elementos.  A cruz e as chamas são bem visíveis, mas há um total de oito elementos representados nesta logomarca.






Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

Esta logomarca foi criada em 1987 e mistura alguns símbolos cristãos e elementos da crença tradicional da igreja presbiteriana: a Bíblia,  a sarça ardente,  a cruz céltica, a pomba,  o peixe e  o portal gótico.  Até as cores tem um significado especial.
Fonte: http://www.ipisa.org.br/logomarca.php





Assembléia de Deus
São muitas denominações e ministérios independentes com este nome e muitas logomarcas.  Esta logomarca é divulgada pela Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB) e considerada moderna e atual, de acordo com a conjuntura atual da AD.  carrega a proposta de representar três elementos.
Logomarca Congregação Cristã no Brasil
A Congregação Cristã também possui uma logomarca registrada no INPI, órgão brasileiro para proteção de marcas e patentes.  É uma logomarca simples, sendo basicamente uma moldura com a abreviação CCB no topo, que poderá mudar, de acordo com o país e no espaço maior, o nome da denominação. 

Esta logomarca, com certeza não contem a representação dos símbolos cristãos comumente utilizados pelas igrejas, como cruz, chama e peixe, etc, porque a CCB não adota nenhum destes símbolos em suas construções e publicações.

O que é mais evidente nesta logomarca é a simetria do grafismo a partir de um ponto central. Esta simetria reflete o ideal clássico de simplicidade, beleza, harmonia, equilíbrio e perfeição com origem na arte romana. Na arte do design, a simetria representa um desenho monótono e repetitivo, feito para não chamar a atenção, que é justamente a intenção desta logomarca.  Além disso, a ausência de cores, de símbolos e o fato do desenho ser fechado, representa bem a assinatura da igreja CCB: uma igreja centenária, que já tem uma tradição, crescendo fora de qualquer tipo de mídia, não querendo chamar a atenção sobre si mesma e conservando-se à parte no universo religioso das denominações.

O uso desta logomarca se limita aos impressos oficiais da CCB, para assegurar a manutenção do registro. Os membros são aconselhados a não utilizarem esta logomarca em bonés, camisetas, adesivos em veículos, etc.

Conclusão

Acredito que a logomarca é importante, mas a preocupação das igrejas com a logomarca é um reflexo do que ocorre no mundo secular,  pois o mercado religioso está concorrido. Muitas estão buscando diferenciação e atrair clientela para a denominação, ao invés de fazer discípulos de Cristo. A Igreja de Cristo, não precisa se preocupar com logomarca, pois é o Espírito Santo que move os corações para aceitar o evangelho, e não a logomarca forte e bonita, com símbolo disto ou daquilo.

Aos que estão procurando uma igreja para servir a Deus, não siga a logomarca, mas a voz de Deus no seu coração. Logomarcas podem ser bem trabalhadas no aspecto construtivo e de marketing, mas igreja cristã é resultado da ação do Espírito Santo em corações dispostos a servir a Deus, acreditando no sacrifício de Jesus, e esta ação, dispensa símbolos, colorido e técnicas de designer. (com todo o respeito pela profissão de designer).

Devemos estar ligados emocionalmente a Deus e não à marcas de igreja, que são tantas e sujeitas a se desvalorizarem,  por causa da ação humana. A Igreja de Cristo, ao contrário, jamais será desvalorizada, manchada, ou vituperada. Que possamos dizer como o apóstolo Paulo: Trago em meu corpo as marcas de Cristo. Gálatas 6:17, e não as marcas da denominação.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...