Subscribe:

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Credo CCB


Ícone retratando Constantino e os 
Pais do Primeiro Concílio de Nicéia (325)

Credo

A Congregação Cristã possui uma declaração doutrinária de 12 Pontos de Doutrina, que alguns irmãos tem chamado de 'credo CCB'. O que vem a ser 'credo'? Os Pontos de Doutrina devem ser denominados Credo ou Confissão de Fé?

Credo e Confissão de Fé representam ambos, um resumo das doutrinas básicas que definem uma  igreja  cristã, mas há diferenças significativas entre as duas expressões.

A palavra Credo deriva do latim credo, que significa "eu creio" e no início da Igreja era uma proclamação  recitada pelo novo convertido na hora de ser batizado.  O Credo, também chamado de símbolo de fé é uma declaração pública, curta, contendo as verdades bíblicas fundamentais, referente a Deus, Cristo, o homem e a salvação e compartilhadas por uma comunidade cristã.

 A história eclesiástica registra diversos credos. O Credo dos Apóstolos é o mais antigo e segundo uma tradição, teria sido formulado pelos apóstolos, mas não há comprovação. Os primeiros credos da Igreja Cristã, chamados credos ecumênicos, foram decididos em concílios que representaram toda a igreja, numa época anterior à divisão em  facções Oriental (Ortodoxa) e Ocidental (Romana)  em 1054. Um dos credos mais aceitos no cristianismo é o Credo Niceno, formulada pela primeira vez em 325 dC, no Concílio de Nicéia. Temos ainda como ecumênicos, o Credo de Calcedônia (451 dC) e o Credo de Atanásio (500 dC).

Pode-se afirmar ainda a respeito dos credos, que eles foram produzidos, em geral, em momentos em que a igreja esteve sob ataque e havia necessidade de se estabelecer quais eram as verdades fundamentais da fé. O que aos olhos do leitor atual parecem simples declarações, no passado foram objetos de muitas polêmicas e interpretações.

Algumas denominações cristãs e outros grupos rejeitam a autoridade desses credos sob o argumento de que Jesus não tinha um credo e que a Bíblia é a única regra de fé e prática. Isso é verdadeiro, mas o cristianismo exige confissão de fé num conjunto de doutrinas e o Credo são declarações onde o homem confessa sua fé, unindo-o aos demais que possuem as mesmas crenças. Credos são aceitos, na medida em que concordarem com as Escrituras.

"Um credo ou regra de fé, ou símbolo é uma confissão de fé para uso público, ou uma forma de palavras, estabelecendo com autoridade certos artigos de fé, que são considerados pelos autores como necessária para a salvação, ou pelo menos para o bem-estar da Igreja cristã "-. Philip Schaff.

A palavra Credo refere-se ainda, na maioria das vezes,  aos credos da Igreja primitiva e nunca foram usados para expressar a Declaração de Fé ou padrão Doutrinário das denominações. Na tradição protestante, as declarações que expressam  as crenças específicas das denominações são chamadas de Confissão de Fé e Catecismo. A palavra credo representa então, aquelas verdades fundamentais para todos os cristãos, independente de denominação.

Credo continua a ser parte da vida cristã. Todo domingo, milhões de cristãos recitam ou cantam algum credo em serviços religiosos ou batismos. inúmeras confissão de fé também estão etruturadas  sobre o Credo.


Credo dos Apóstolos

(Séculos III e IV) 

Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra.

E em Jesus Cristo, seu Filho unigênito, nosso Senhor; concebido pelo Espírito Santo e nascido da Virgem Maria; que padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado,2  e ao terceiro dia ressurgiu dos mortos; que subiu ao céu e assentou-se à direita do Pai Todo-Poderoso, de onde há de vir para julgar os vivos e os mortos. 

Creio no Espírito Santo, na santa igreja católica, na comunhão dos santos, na remissão de pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna. Amém. 

Credo de Nicéia

(325 a.d. - revisado em Constantinopla em 381 a.d.) 

Cremos em um só Deus, Pai, Todo-Poderoso, Criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis.
E em um só Senhor Jesus Cristo, o unigênito Filho de Deus, gerado pelo Pai antes de todos os séculos, Luz da Luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não criado, de uma só substância com o Pai, pelo qual todas as coisas foram feitas; o qual, por nós homens e por nossa salvação, desceu dos céus, foi feito carne pelo Espírito Santo e da Virgem Maria, e tornou-se homem, e foi crucificado por nós sob Pôncio Pilatos, e padeceu e foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus e assentou-se à direita do Pai, e de novo há de vir com glória para julgar os vivos e os mortos, e o seu reino não terá fim.

E no Espírito Santo, Senhor e Vivificador, que procede do Pai e do Filho, que com o Pai e o Filho conjuntamente é adorado e glorificado, que falou através dos profetas. E na Igreja una, santa, católica e apostólica. Confessamos um só batismo para remissão dos pecados. Esperamos a ressurreição dos mortos e a vida do século vindouro. Amém.

fontes: wikipedia
https://sites.google.com/site/estudosbiblicossolascriptura


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...